Síndrome de Boreout

Atualizado: 25 de Set de 2019


O burnout, que caracteriza a exaustão emocional e alto nível de estresse no trabalho, é um transtorno bastante conhecido e você pode saber mais sobre esse assunto por aqui. No entanto, ele não é o único mal que pode afetar emocionalmente os profissionais.

Existe uma síndrome chamada boreout, que pode ser considerada o oposto do burnout, e se caracteriza pelo tédio causado pela falta de expectativas no trabalho.

Esse sentimento pode ser causado por dois fatores: pela atividade repetitiva e monótona que o profissional esteja exercendo ou por sua postura apática diante da rotina de trabalho.


Os profissionais que tendem a desenvolver essa síndrome são:

· Aqueles que são qualificados demais para a função que ocupam;

· Os que não têm expectativas de crescimento na empresa onde trabalham;

· Os funcionários que estão desinteressados ou desmotivados;

· Os que não se sentem reconhecidos nem valorizados em seu ambiente de trabalho;

· Aqueles cujas funções e importância dentro da empresa não estão claras;

· Os que trabalham em ambientes demasiadamente burocráticos;

· As pessoas que não realizam atividades interessantes, porque outros funcionários já as monopolizaram, deixando apenas as atividades tediosas para outros;

· Aqueles que desenvolvem mais de uma função dentro da empresa.


As consequências do boreout em termos profissionais se caracterizam principalmente pelo baixo rendimento do funcionário acometido pela síndrome, já que o aborrecimento com sua situação atual o leva a cumprir apenas o estritamente necessário para que ele não perca o emprego. Ou seja, ele não se dedica e finge que está cumprindo suas obrigações quando, na verdade, está fazendo coisas que não têm relação com o trabalho, além de não ter o mínimo de exigência consigo.

Desse modo, o rendimento da empresa também diminui, já que a função do colaborador não está sendo executada como deveria, e ele pode estar atrapalhando o trabalho de outras pessoas, também.


Essa síndrome pode tomar proporções ainda mais sérias em aspectos pessoais, pois o indivíduo afetado pelo boreout pode apresentar sintomas como:

· se tornar apático;

· apresentar vícios, como o consumo de álcool ou drogas;

· desenvolver distúrbios emocionais e psicológicos e acabar por precisar de ajuda profissional para tratar esses sintomas.


Caso você suspeite que esteja desenvolvendo essa síndrome, pode tentar contorná-la com algumas táticas, como por exemplo:

- Desconectar-se do ambiente de trabalho: é importante que você saia de corpo e mente do trabalho ao final do expediente, e procure realizar atividades que proporcionem entretenimento e bem-estar, como ler, praticar atividades físicas, assistir a filmes e seriados, passar tempo com a família e os amigos... Pode ser qualquer coisa, desde que você faça isso por você.

- Fazer uma lista de objetivos e metas: não há nada que seja mais motivador do que saber aonde você quer chegar e quais passos você deve dar para atingir seus objetivos. Essa pode ser a atitude que falta para mudar sua mentalidade e, consequentemente, a sua postura no ambiente de trabalho.

- Procurar outro emprego: às vezes, a única saída é realmente se retirar do ambiente em que você adoeceu. Se você tiver a possibilidade de sair do seu emprego, saia. Trabalhar é necessário, mas você não precisa fazer isso em um local que se tornou tóxico para você.

- Pedir ajuda a um profissional: outra medida viável é procurar ajuda de psicólogos, para que eles que te auxiliem de maneira adequada a trabalhar questões internas e você possa superar esse sentimento de desmotivação e falta de estímulos em sua carreira.


É preciso estar sempre atento ao seu estado emocional e buscar identificar os sinais de desgaste, afinal, a síndrome de boreout pode parecer um problema inofensivo e comum, mas pode afetar sua vida de maneiras muito sérias.

80 visualizações

Telefone: +55 (15) 3224-7777

Endereço: Rua Santa Clara, 407 - Centro - Sorocaba/SP

 

Horário de Funcionamento: Segunda a Quinta: 08h às 18h e Sexta: 08h às 17h

 

© 2019 - QUALITAS HUMANUS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.